Como ajudar os alunos com o estresse do vestibular

O vestibular é um dos acontecimentos mais esperados, mas também um dos mais estressantes para os alunos. A adolescência já não é um período fácil, ter que escolher uma carreira tão jovem também não, ainda por cima não é raro ter que enfrentar a competição e a pressão de quem está em volta. É um turbilhão de sentimentos, e é ainda pior para quem não tem o hábito de estudar em casa.

Toda essa intimidação está propicia a ultrapassar a linha do saudável e gerar aflição ao invés de incentivo. O aluno quer agradar os pais, provar que consegue, como se dependesse de tirar um pé da escola e já colocar o outro na faculdade. É muito bom que a graduação venha na sequência da conclusão do ensino médio, mas incentivar que o adolescente acredite que toda a vida dele depende disso é insustentável. Juntar tudo isso com a rotina árdua de preparação para o vestibular traz um ambiente propicio para perturbar o humor, deixando-os angustiados, cansados e até com dores musculares.

Pensando nisso, trouxemos algumas sugestões para que a escola possa ajudar os alunos a ficarem menos tensos nessa fase. Confira:

  1. Incentive os alunos a ter outras atividades além dos estudos: esporte, dança, teatro, tudo é valido desde que não deixe de estudar para se dedicar só a atividade extracurricular.
  2. Ajude os alunos a associar os estudos a coisas positivas: sabe aquele papo de que se a sala não ficar quietinha, vai ter o dobro de lição de casa? Faz os alunos associarem o estudo com castigo. Já sabe a consequência né?
  3. Incentive a terem horários programados para descanso: o sono é muito importe para assimilar o que foi estudado e é essencial para quem quer ir bem nas provas. Dar um tempo para respirar entre períodos de estudo também faz bem.
  4. Na véspera da prova: sugira que o dia tenha atividades mais simples e descontraídas. Não adianta estudar na véspera da prova. Se o ano inteiro não estudou, estudar no dia anterior só trará mais ansiedade.
  5. Incentive os alunos a organizar metas e rotinas de estudo: quando existe uma rotina, o adolescente se sente bem por ter cumprido a meta. Quando não existe um planejamento, o estudo não tende a ir para frente e consequentemente o adolescente se sente culpado.
  6. Se perceber que há um desinteresse do aluno em fazer vestibular, existe a possibilidade de incentivar atividades que visam ampliar o repertório de profissões desse adolescente, fazendo com que ele se aprofunde nesse novo estilo de vida e tornando mais simples o processo de escolha.
  7. Além da rotina padrão das aulas, os professores podem reforçar todo o conteúdo apresentando aulas mais lúdicas (por exemplo: passar filme e fazer experimentos fora de sala podem ajudar na melhor compreensão do conteúdo)
  8. Lembrar para si mesma(o) e para seus alunos que os conhecimentos aprendidos na escola são importantes para a vida do estudante e não somente para o vestibular, visando sempre aumentar ou melhorar sua habilidade de criticar e investigar o mundo a sua volta. Portanto a decisão de fazer ou não o vestibular é secundária frente a decisão de vida do aluno.

Passar no vestibular pode ser uma conquista muito importante na vida de uma pessoa, mas lá fora existem várias outras escolhas que também são boas: cursos técnicos, especializações, e várias outras opções. O aluno vai ter um tempinho para se decidir e pode entrar tranquilo na faculdade sem ter que sair atropelando as coisas, como eventualmente se é incentivado.

blog comments powered by Disqus

Siga-nos no
Facebook!

gestaoescolarsemsegredos